Páginas

29 de set de 2014

A Estratégia do Oceano Azul

A Estratégia do Oceano Azul diz respeito, basicamente, à busca de novas oportunidades ou mesmo criação de um mercado ainda não existente. "Oceano Vermelho" seria o mercado concorrencial atual, a forma de fazer negócio que vem sendo praticada. Ao considerar os requisitos, os valores e os métodos atuais, busca-se a situação de "Oceano Azul", que corresponderia a um mercado não explorado (como fez, por exemplo, o Cirque du Soleil ao mudar a concepção de circo).


A Estratégia do Oceano Azul defende a necessidade de reconhecer quais os principais fatores para readequação do negócio atual, a partir do mapeamento da forma tradicional de atuação (Oceano Vermelho), identificando elementos para diferenciação que propiciem a exploração de novas oportunidades.


Identificando-se os fatores principais de determinado negócio, a estratégia seria buscar uma transformação eliminando alguns desses fatores e criando outros, gerando valor reconhecido pelos clientes.
Observo algo parecido no conceito de estratégia defendido por Michael Porter em "Competição" (ver aqui), que estabelece que a vantagem competitiva seria alcançada pela articulação de aspectos específicos que, em conjunto, criariam um posicionamento de mercado difícil de ser copiado. No caso do Oceando Azul a abordagem é mais ampla, pois não se considera a empresa como foco de análise, mas as características de determinado mercado para definição de vantagem competitiva.
Outro ponto destacado no livro diz respeito aos aspectos de mudança. Para se adequar a cultura organizacional (moldá-la ao novo plano de operação) deve-se, ao invés de procurar convencer a maioria dos membros da organização, identificar os fatores extremos, os pontos-chave, os indivíduos nos quais se baseia o status atual. A partir daí, da alteração na forma de trabalho desses indivíduos, implementam-se as alterações necessárias para introdução de práticas que induzam mudanças operacionais.
Trata-se de um esforço mais racional que tentar o convencimento pela maioria - "Dê-me uma alavanca e um ponto de apoio e eu moverei o mundo" (Arquimedes).

REFERÊNCIA CONSULTADA:
KIM, W. Chan; MAUBORGNE, Renée. A Estratégia Do Oceano Azul. Rio de Janeiro: Campus, 2005.